fbpx

Anticoncepção

O planejamento familiar é imprescindível para a qualidade de vida. Por isso, hoje, as mulheres podem contar com uma série de métodos anticoncepção para prevenir a gravidez indesejada. E, além disso, evitar doenças sexualmente transmissíveis.

 

Veja também:

 

Tipos de métodos anticoncepção

 

  • Camisinha

    Um dos recursos anticoncepção mais utilizados por conta da facilidade. É um método de barreira seguro e barato. Existe não só para o uso masculino, mas também para o feminino. Dessa forma, protege o organismo de ambos contra as doenças transmissíveis;

  • Anticoncepcional Oral ou Pílula

    Há inúmeras marcas e formulações no mercado para os diferentes tipos de organismo, estágios da vida e idade, mas o mais moderno é o de baixa dosagem. Assim, é comum que venham em cartelas com vinte e um comprimidos. Em seguida, uma pausa de sete dias deve ser feita antes de iniciar uma nova cartela;

  • Anticoncepcional Injetável

    A aplicação pode ser mensal ou trimestral. Trata-se de um método prático, com menor taxa de “esquecimento”. Por isso é muito comum para quem ingere o medicamento diariamente;

  • DIU (Dispositivo Intra-Uterino)

    Ótima opção contraceptiva de baixa custo com duração de até sete anos. Há dois tipos: DIU de progesterona e DIU de cobre, que liberam hormônios com ação local na região do útero;

  • Anel Vaginal

    O item deve ser alocado no fundo da vagina, onde pode ficar por até três semanas. Sua atuação é de liberação contínua de hormônios. De fato é um método relativamente novo, com boa eficácia e muito discreto.

anticoncepção

  • Implante Transdérmico

    É um adesivo aplicado na pele com liberação contínua de hormônios. É necessária a troca a cada sete dias. É um método de fácil manuseio e, por ser seguro, seu uso tem aumentado;

  • Implante Subcutâneo

    É um pequeno dispositivo implantado sob a pele, principalmente na área do braço. Sua duração é de, aproximadamente, três anos, liberando progesterona de forma contínua.

  • Contracepção Cirúrgica

    Trata-se de um método definitivo que consiste na obstrução das trombas uterinas no corpo feminino, conhecida como laqueadura tubárea, ou então nos ductos masculinos, chamada de vasectomia. Pode ser feita, portanto, após com avaliação clínica para casos determinados, com restrições a maiores de vinte e cinco anos, ao menos dois filhos vivos ou em casos de risco de saúde.

Os anticoncepcionais são medicamentos, por isso só devem ser ingeridos com avaliação médica prévia e prescrição, pois existem contraindicações.