fbpx

Psoríase

A psoríase é um dos tipos de doença de pele crônica, que é não contagiosa, e hoje é relativamente comum entre a população. Principalmente em uma determinada faixa etária, com menos de trinta anos ou superior a cinquenta.

 

Veja também:

 

Essa dermatose apresenta os sintomas periodicamente. São eles: vermelhidão da área e descamação da pele. Além das manchas vermelhas ou róseas com escamas esbranquiçadas, também apresenta coceira, dor e queimação na região.

É bem possível que o paciente se confundida com uma simples alergia. Mas é importante prestar atenção para procurar atendimento especializado e encontrar um tratamento adequado.

As causas da doença ainda são desconhecidas, mas já se sabe que tem relação direta com o sistema imunológico. Alguns fatores externos também podem desencadear a doença como estresse, fumo, excesso da ingestão de bebida alcoólica e medicamentos antidepressivos.

Há formas de prevenir da psoríase como, por exemplo, manter a pele limpa e hidratada. Além de evitar o consumo excessivo de álcool e tabaco.

psoríase

Tipos

A psoríase se apresenta em diversos tipos com sintomas bem parecidos. Por isso a importância de conhecer as diferentes para ter um diagnóstico mais preciso.

  • Em placa: é a manifestação mais comum da condição, surgindo principalmente nos joelhos, cotovelos, costas e couro cabeludo.
  • Do couro cabeludo: acontece em forma de placas, mas no couro cabeludo e pode variar sendo leve ou moderada.
  • Gutata: este tipo surge em crianças e adolescentes em forma de pontinho vermelhos e escamosos na superfície da pele, podendo progredir para a psoríase em placa.
  • Eritrodérmica: forma mais rara e grave da doença, as manchas neste caso podem comprometer a proteção dos tecidos.

Tratamentos

A cura para esse tipo de doença de pele ainda não foi descoberta, mas os sinais e sintomas podem ser controlados regularmente. O mais indicado é buscar um dermatologista especialista que prescreva, indique e ensine quais são os melhores medicamentos, remédios caseiros e tratamentos a serem realizados.

 

Podem ser recomendados produtos específicos para hidratar a pele, de acordo com cada tipo, medicamentos orais ou tópicos para tratar as lesões de forma externa ou até mesmo medicações injetáveis quando é um caso mais grave.

 

Não se automedique, a ingestão errônea de medicamentos pode agravar ainda mais a situação, e com isso não é possível conhecer exatamente o nível do problema.