fbpx

Câncer de Pele

O câncer de pele é uma doença que se desenvolve ao passo que uma célula sofre uma mutação no seu núcleo DNA. Dessa forma, se multiplica de maneira fora do padrão e desordenada, criando um novo tecido.

De acordo com o Instituo Nacional de Câncer (INCA), cerca de 25% de todos os tumores malignos no Brasil são, de fato, câncer de pele.

 

Veja também:

 

Os mais afetados por essa condição são as pessoas com pele branca. Além disso, cerca de 90% das lesões ficam em áreas constantemente expostas ao sol sem proteção.

cancer-de-pele

Indícios

Para descobrir se o câncer de pele está instalado no organismo é necessário buscar um profissional dermatologista. Assim, ele fará o exame ABCD que, com uma lupa, analisa a pinta ou mancha da pele. Dessa maneira, o exame verifica a assimetria, bordas, cor e diâmetro do sinal. Portanto, caso tenha chances de realmente ser câncer de pele, o médico pedirá mais exames para confirmar a suspeita, como biópsias.

Tipos

  • Carcinoma espinocelular: afeta as camadas mais superficiais da pele e se multiplica rapidamente. Surge, principalmente, em áreas de alta exposição solar, mas também é comum em regiões de mucosas, como lábios e boca;
  • Carcinoma basocelular: o tipo mais comum entre os brasileiros, afetando as camadas mais profundas da pele, mas com menor chance de malignidade. Costumam aparecer no rosto, lóbulo da orelha e nariz. Em alguns casos, feridas que não cicatrizaram ou que sangram com facilidade podem se transformar nesse tipo de câncer;
  • Melanoma: forma mais agressiva e fatal. Em cerca de 10% dos casos, é associado à questão genética. Esse tipo de câncer se multiplica rapidamente e pode gerar metástase (momento em que as células cancerígenas caem na corrente sanguínea e chegam a outros órgãos, piorando a situação).

Tratamentos

Quando os exames feitos pelo paciente indicam positivo para o câncer de pele, o médico mostrará as opções disponíveis para o tratamento.

 

O mais adequado é retirar o nódulo. Mas não é recomendado para as pessoas com mais de sessenta anos, pessoas com dificuldades de locomoção ou acamadas. Nestes casos, podem ser indicadas opções alternativas.

 

Se existe uma suspeita da doença, é necessário procurar um dermatologista para fazer as análises e saber do que se trata. E, assim, receber o diagnóstico e iniciar o tratamento rapidamente.